Acervo Temático: o Plano Biden

Joe Biden assumiu a presidência dos Estados Unidos em janeiro deste ano, e desde então apresenta medidas econômicas para o Congresso que se afastam do Reaganismo, paradigma econômico estadunidense vigente desde a década de 1980. Neste dossiê, relembraremos as principais medidas propostas pelo presidente Biden e seu discurso para o Congresso, no centésimo dia de governo, e a repercussão na mídia nacional e internacional.

Relembre os principais planos e medidas econômicas apresentadas pelo Biden:

Biden revela plano para investir cerca de US$ 2 trilhões em infraestrutura/Valor Econômico (31.03)

Aumento de impostos, investimentos em infraestrutura, reerguimento da economia. Entenda os principais pontos dos investimentos planejados pela gestão Biden e quais serão as dificuldades em aprová-los.

Entenda o plano de Biden para as famílias americanas/Estadão (29.04)

No dia 28 de abril, o presidente Biden revelou o “Plano para as Famílias Americanas”, destinando verba para assistência à primeira infância, licenças familiares, licenças médicas e oferta de faculdades comunitárias. Além disso, a notícia apresenta a relação do plano com o aumento dos impostos para os mais ricos.

Discurso de Biden ao Congresso: 5 momentos-chave/BBC (29.04)

Relembre o primeiro discurso do presidente Biden no Congresso norte-americano. Biden falou sobre racismo estrutural, taxação dos ricos e democracia.

Análises:

O Plano Biden/Opinião Época (16.04)

Monica de Bolle, Pesquisadora Sênior do Peterson Institute for International Economics e professora da Universidade Johns Hopkins, faz uma recapitulação do papel do Estado na economia norte-americana e a inserção do plano Biden neste contexto.

O que é bom para os EUA, só desta vez, não seria bom para o Brasil?, questiona José Paulo Kupfer/Opinião Poder 360 (30.04)

O jornalista José Paulo Kupfer questiona a possibilidade e os limites de reproduzir o Plano Biden no Brasil.

Análise: Os EUA se tornarão o túmulo do neoliberalismo?/Carta Capital (01.05)

O professor na Universidade de Denver e Pesquisador do Instituto de Estudos do Estados Unidos, Rafael R. Ioris argumenta em até que ponto a política Biden se distancia do neoliberalismo disseminado no mundo todo.

Joe Biden foi um candidato entediante. Ele agora traça comparações com o FDR./ The Economist (01.05)

O artigo analisa as principais medidas anunciadas pelo presidente Biden e seus possíveis impactos, as similaridades com o New Deal de Roosevelt, a busca por equidade racial e pelo reestabelecimento da confiança no governo.

Plano Biden pode beneficiar trabalhadoras mulheres, as mais castigadas pela pandemia de Covid-19/RFI (03.05)

A desigualdade de gênero se fez presente na crise ocasionada pela pandemia do coronavírus. Entenda como plano de Biden pode beneficiar as mulheres, visto que 2 milhões de trabalhadoras saíram do mercado de trabalho durante a crise de Covid-19.  

Biden não está buscando o socialismo. Ele está apenas tentando alcançar outras democracias ricas/ Opinião Washington Post (04.05)

O historiador Max Boot apresenta como as medidas apresentadas por Biden poderá garantir uma segurança social mínima, embora ainda distante de outras nações ricas.

Joe Biden surpreende e governa mais pela esquerda do que Obama/Metrópoles (04.05)

Joe Biden se afasta do Reaganismo e institui um plano bilionário para aquecer a economia norte-americana.

Biden e o futuro da família/Opinião Folha (04.05)

Paul Krugman, colunista da New York Times, fala sobre o “Plano para as Famílias Americanas”, principalmente no atendimento à primeira infância. Krugman aponta as críticas de republicanos e os possíveis impactos que o plano terá no futuro da economia e das famílias norte-americanas.

Governo Joe Biden: as políticas à esquerda que põem o presidente em posição inédita na história recente dos EUA/BBC (10.05)

Mariana Sanches, jornalista e mestre em Estudos Latino-Americanos, escreve sobre as expectativas de Biden ser um centrista “tampão”, como o atual presidente se mostra muito mais arrojado, surpreendendo o setor à esquerda dos Democratas e a “janela de dois anos” para a possível aprovação dos planos.

Autor: publicoemdebate

Esse conteúdo não representa, necessariamente, a opinião da Fundação Podemos.