Clipping Internacional (23/07 – 29/07)

Neste clipping, reunimos as principais notícias internacionais da semana: Covid volta a acender alerta na Europa; maior incêndio do ano na Califórnia força retirada de milhares de pessoas; Tunísia aprova nova Constituição que concentra poder nas mãos do presidente; choque entre manifestantes e capacetes azuis da ONU deixa 15 mortos na República Democrática do Congo; Democratas destravam impasse para aprovar versão encolhida do plano socioambiental de Biden; Boric anuncia acesso gratuito à rede de saúde pública do Chile; com nomeação de superministro, Fernández passa a ser o número três no próprio governo; e mais.

Sábado, 23 de julho de 2022

Irã realiza primeira execução pública em dois anos, diz ONG/Folha (23.07)

“O Irã realizou neste sábado (23) a primeira execução pública em dois anos, de acordo com a ONG Iran Human Rights (IHR), com sede na Noruega. Iman Sabzikar, condenado pelo assassinato de um policial em fevereiro, foi enforcado na cidade de Shiraz, no sudoeste do país.”

Covid volta a acender alerta na Europa, que vive 7ª onda e teme nova alta no inverno/Folha (23.07)

“Mais de dois anos após o início da pandemia, a Europa volta a lidar com o avanço do coronavírus e um aumento de internações devido à doença. A sétima onda da Covid, impulsionada pela disseminação de subvariantes da ômicron, acende o alerta para o risco de uma explosão de casos no outono e no inverno no hemisfério Norte.”

Domingo, 24 de julho de 2022

‘Explosivo’: Maior incêndio do ano na Califórnia força retirada de milhares de pessoas; EUA enfrentam onda de calor/O Globo (24.07)

“O estado da Califórnia, nos EUA, enfrenta o maior incêndio florestal do ano, com milhares de hectares queimados desde o início do sábado na região do Parque Nacional de Yosemite. Mais de seis mil pessoas já foram retiradas da área, de acordo com o Departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios, enquanto milhões de americanos experimentam uma onda de calor que já atingiu temperaturas recordes no país.”

Segunda-Feira, 25 de julho de 2022

Tribunal de paz da Colômbia acusa 22 militares de executar 303 civis entre 2005 e 2008/O Globo (25.07)

“A Jurisdição Especial para a Paz (JEP), o tribunal da Colômbia que investiga crimes cometidos durante o conflito armado no país, acusou 22 militares de crimes de guerra e crimes contra a Humanidade, incluindo o assassinato extrajudicial de 303 civis, cometidos entre 2005 e 2008.”

No Canadá, Papa pede perdão por mal causado a crianças indígenas pela Igreja/O Globo (25.07)

“O Papa Francisco se reuniu, nesta segunda-feira, com sobreviventes de um antigo internato para indígenas no Canadá, onde renovou o pedido de desculpas pelo papel da Igreja Católica na violência infligida a crianças de povos originários do país. O encontro aconteceu numa arena montada no Parque Maskwa, em Maskwacis, na província de Alberta, cerca de 100 km ao sul de Edmonton, onde se encontra a antiga escola residencial de Ermineskin, uma das maiores do Canadá, que esteve em atividade de 1895 a 1975.”

Junta militar de Mianmar executa 4 ativistas pró-democracia/O Globo (25.07)

“O regime militar de Mianmar anunciou nesta segunda-feira que executou quatro ativistas pró-democracia, na primeira vez em que a pena de morte foi aplicada no país asiático em mais de três décadas. As execuções, que provocaram condenação internacional, foram vistas como a mais recente tentativa de incutir medo em um movimento de resistência que continua a combater a junta que tomou o poder em um golpe em fevereiro do ano passado, pondo fim a uma frágil transição democrática.”

Tunísia aprova nova Constituição que concentra poder nas mãos do presidente/Folha (25.07)

“Com comparecimento apático, a Tunísia aprovou nesta segunda-feira (25) uma reforma constitucional que concentra ainda mais o poder nas mãos do presidente, Kais Saied. Os resultados oficiais ainda não foram divulgados, o que deve acontecer apenas na manhã desta terça (26), mas a pesquisa de boca de urna divulgada pela TV estatal indica que 92,3% dos eleitores votaram no “sim”.”

Terça-Feira, 26 de julho de 2022

Trump é investigado criminalmente sobre invasão do Capitólio, diz jornal/Folha (26.07)

“O ex-presidente dos EUA Donald Trump está sendo investigado criminalmente pelo Departamento de Justiça por ter insuflado manifestantes a invadirem o Capitólio em 6 de janeiro do ano passado, numa tentativa de reverter a derrota para o democrata Joe Biden na eleição de 2020. As informações foram antecipadas pelo jornal americano Washington Post.”

Fala de Orbán é retórica nazista digna de Goebbels, diz ministra ao renunciar na Hungria/Folha (26.07)

“A declaração de Viktor Orbán de que os húngaros “não querem se tornar um povo mestiço” levou a um início de crise que resultou em uma baixa no governo nesta terça-feira (26). Depois de o líder ser alvo de uma série de críticas, a ministra da Inclusão Social do país, Zsuzsa Hegedus, renunciou ao cargo dizendo que a fala do ultradireitista tem teor nazista.”

Choque entre manifestantes e capacetes azuis da ONU deixa 15 mortos na República Democrática do Congo/O Globo (26.07)

“Três capacetes azuis das forças de estabilização da ONU e pelo menos 12 manifestantes foram mortos nesta terça-feira na República Democrática do Congo (RDC), no segundo dia de protestos contra a organização internacional, acusada por organizações civis e pelo partido do presidente Félix Tshisekedi de ser ineficaz na luta contra os grupos armados.”

UE adota meta de redução de 15% do uso de gás após Rússia diminuir fornecimento/Folha (26.07)

“A contragosto de alguns países-membros, a União Europeia (UE) aprovou nesta terça-feira (26) a meta voluntária de redução de 15% do uso de gás no período entre agosto deste ano e março de 2023, em um esforço para diminuir a dependência do produto importado da Rússia.”

Quarta-Feira, 27 de julho de 2022

Vice-presidente eleita da Colômbia inicia viagem regional com visita a Lula/O Globo (27.07)

“A vice-presidente eleita do primeiro governo progressista da Colômbia, Francia Márquez, iniciou nesta terça-feira uma viagem pela região, tendo como primeiro destino São Paulo, onde se reuniu com o ex-presidente e candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva na Fundação Perseu Abramo.”

Hungria ofereceu ajuda para reeleição de Bolsonaro, mostra relatório interno/Folha (27.07)

“O chanceler da Hungria, Péter Szijjártó, ofereceu ajuda para a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) durante uma reunião com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Britto.”

Democratas destravam impasse para aprovar versão encolhida do plano socioambiental de Biden/O Globo (27.07)

“Em um desdobramento inesperado, senadores democratas chegaram a um acordo nesta quarta-feira para aprovar os resquícios do pacote socioambiental e fiscal apresentado pelo presidente Joe Biden no início de seu governo. Bem menos ambicioso, o acordo destrava um impasse de meses que ameaçava ofuscar as chances do partido nas eleições legislativas de janeiro.”

Governo panamenho anuncia desbloqueio de estradas em meio às negociações com sindicatos/O Globo (27.07)

“Após três semanas, as rodovias bloqueadas em protesto contra o alto custo de vida no Panamá foram liberadas na noite de terça-feira por manifestantes, enquanto prosseguem as negociações entre os sindicatos e o governo. O país tem sido palco de protestos contra o custo de vida e a corrupção, na pior crise social desde a invasão dos EUA, em 1989.”

Quinta-Feira, 28 de julho de 2022

Venezuela e Colômbia anunciam retomada de relações diplomáticas após posse de Petro/Folha (28.07)

“A Venezuela e a Colômbia vão restabelecer as relações diplomáticas a partir de 7 de agosto, quando o presidente eleito Gustavo Petro tomar posse em Bogotá. A retomada dos diálogos foi anunciada nesta quinta-feira (28) por representantes dos dois países, que comunicaram ainda a intenção de unir esforços na área da segurança.”

Em segunda troca no mês, Argentina nomeia deputado peronista como ‘superministro’ da Economia/O Globo (28.07)

“Em meio ao aumento desenfreado da inflação e às disputas com a vice-presidente Cristina Kirchner, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, trocou seu ministro da Economia pela segunda vez em um mês. O hoje presidente da Câmara dos Deputados, o peronista Sergio Massa, foi nomeado como “superministro”, encarregado da Economia e de mais duas pastas e de liderar as relações com instituições bilaterais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), com o qual o país assinou um acordo de renegociação de sua dívida em março deste ano.”

Boric anuncia acesso gratuito à rede de saúde pública do Chile/O Globo (28.07)

“O presidente do Chile, Gabriel Boric, anunciou na noite de quarta-feira o fim do sistema de coparticipação no sistema público de saúde (Fonasa). No Chile, país de 19 milhões de habitantes, cerca de oito em cada 10 são atendidos pelo Fonasa, que divide seus usuários em quatro setores, de acordo com a renda de cada um.”

‘Aqueles que brincam com fogo só vão se queimar’, diz Xi Jinping a Joe Biden ao falar sobre Taiwan/G1 (28.07)

“Xi Jinping, o líder da China, disse a Joe Biden, dos Estados Unidos, que os americanos devem respeitar o princípio de “uma China” em relação a Taiwan e garantir que suas ações sejam consistentes com suas palavras, informou a mídia estatal chinesa.”

Sexta-Feira, 29 de julho de 2022

Análise: com nomeação de superministro, Fernández passa a ser o número três no próprio governo/O Globo (29.07)

“Há pouco mais de três anos, quando Cristina Kirchner elaborou a fórmula presidencial para competir em 2019, a atual vice-presidente leu como ninguém os desejos dos eleitores naquele momento. Entretanto, aquele desenho tinha um vício de origem na hora de governar: o titular da chapa, Alberto Fernández, tinha menos poder do que sua vice. Mais de meio mandato depois, agora o mandatário corre para deixar de ser o número dois no poder. O fato inédito é que, com Sergio Massa como superministro, ele passará de número dois ao três.”

Rússia e Ucrânia trocam acusações após ataque a prisioneiros ucranianos/Folha (29.07)

“Rússia e Ucrânia trocam nesta sexta (29) acusações mútuas após um ataque relatado por Moscou contra um centro de detenção de prisioneiros de guerra em Olenivka, cidade controlada por separatistas pró-russos na província de Donetsk, no leste ucraniano.”